0

VERBOS REGULARES



Dizemos que um verbo é regular quando, ao ser conjugado, não sofre variação do radical.

Exemplos:

Cantar – partir – falar



Notem que o radical CANT permanece inalterado nos tempos presente do indicativo e futuro do presente do indicativo e no presente do subjuntivo. Por isso, dizemos que o verbo CANTAR é regular. São conjugados dessa mesma forma os verbos SALTAR, LAVAR, ANDAR.

Para uma melhor fixação vejamos mais um exemplo:



São conjugados dessa mesma forma: CONHECER, DESCER, COMER, etc.

VERBO IRREGULAR

São aqueles que sofrem variação, em geral, no radical.

Exemplos:

Ser, ter, dizer, fazer, etc.



Alguns verbos são irregulares apenas no particípio: sobrescrito, subscrito, inscrito, etc. O verbo perder é irregular no presente do indicativo, no presente do subjuntivo e no imperativo afirmativo.

VERBOS DEFECTIVOS

São aqueles que não possuem a conjugação completa, por não serem utilizados em certos tempos, modos ou pessoas.

Encontramos maior incidência de verbos defectivos na 3ª conjugação e em formas rizotônicas.

VERBO COLORIR

Tu explodes
Ele explode
Nós explodimos
Vós explodis
Eles explodem

Seguem a mesma conjugação: exaurir, abolir, extorquir, latir.

Podemos trocar as formas inexistentes dos verbos defectivos por sinônimos: eu recupero, ele recupera à verbo REAVER – nós reavemos, vós reaveis.

Vejamos a conjugação do verbo defectivo PRECAVER



Nas formas inexistentes é possível empregar: cuidar, prevenir, etc. Não são admissíveis as formas precavejo, precavêm, precavenha, precavenham.

VERBOS ABUNDANTES

Os verbos abundantes são aqueles que possuem duas ou mais formas em determinados tempos, modos ou pessoas. Geralmente, estas variantes ocorrem no particípio.

Vejamos alguns exemplos:



Há alguns verbos que só possuem particípio irregular: dizer – dito; escrever – escrito; vir – vindo.

Usamos, via de regra, o particípio regular com os verbos auxiliares TER e HAVER (voz ativa) e o particípio irregular com os verbos auxiliares SER e ESTAR.

Exemplos:

O diretor havia aceitado a proposta.

A proposta aceita pelo diretor.

O juiz não tinha soltado o réu.

O réu não seria solto pelo juiz.

Atualmente, as formas irregulares são mais usuais por serem mais breves, algumas formas acabaram suplantando as formas regulares. É o caso de ganho, pago e gasto, tornando obsoletas as formas regulares ganhado, pagado e gastado.

Com os verbos andar, estar e ficar usamos, quase sempre, as formas irregulares.

Exemplo:

Os presos andavam soltos pela penitenciária.

As ferramentas estavam dispersas pelo chão da oficina.

Alguns particípios irregulares perderam a força verbal e passaram para a categoria de adjetivos.

Confuso à verbo confundir;

Corrupto à verbo corromper;

Correto à verbo corrigir;

Omisso à verbo omitir.

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

Complete as lacunas com a forma verbal correta:

a) Pedi-lhe que se ... contra o perigo dos tóxicos. (precavisse/precavesse)

R – Precavesse.

b) Abra os olhos! Acautele-se, ...! (precavenha-se/cuide-se)

R – Cuide-se

c) Não creio que eles ... o prestígio perdido. (reajam/recuperem)

R – Recuperem.

Utilize a forma correta dos verbos entre parênteses:

a) A polícia havia ... a multidão. (dispersar)

R -  dispersado

b) As folhas estavam ... pelo quintal da casa. (dispersar)

R – dispersas.

c) A raça humana seria ... pelas guerras nucleares cada vez mais freqüentes. (extinguir)

R – extinta.

SÍNTESE 

Verbo regular à Dizemos que um verbo é regular quando, ao ser conjugado, não sofre variação do radical.



Verbos irregulares à São aqueles que sofrem variação, em geral, no radical.



Verbos defectivos à São aqueles que não possuem a conjugação completa, por não serem utilizados em certos tempos, modos ou pessoas.



Verbos abundantes à são aqueles que possuem duas ou mais formas em determinados tempos, modos ou pessoas. Geralmente, estas variantes ocorrem no particípio.




0 comentários:

 
©2011 Juliana Hellen Por Templates Sal da Terra