0

Minicartão de Dia das Mães

Olá.
Aqui é o Rafael novamente.
Como tem sido todos os anos desde que comecei a colaborar para o Educar é Viver, deixo para os leitores um desenho alusivo às datas comemorativas - neste caso, o Dia das Mães.
No presente ano, só foi possível, devido a motivos de força maior, elaborar um cartão. Clique na imagem para ampliar, imprima e inclua no seu presente!

Este cartão também pode ser visto nos seguintes sites:
https://naestanciadoteixeirao.blogspot.com.br/
https://estudiorafelipe.blogspot.com.br/.
Um feliz dia das Mães às educadoras - e também mães - que acompanham o nosso blog!
E até mais!

0

Avaliações para 5º ano

Amigos e seguidores do blog EDUCAR É VIVER, postarei aqui algumas avaliações para aplicar em turmas de 5º ano. Espero que ajude!!!!
Visitem também meu canal no YouTube :
  https://www.youtube.com/channel/UCE-01iWihGiaSFKd9HuJySw 


  • Avaliação 1 

     

    Avaliação 2 

    Avaliação 3





0

Deficiência Auditiva - Diagnóstico

    Deficiência auditiva: é quando alguma estrutura das orelhas apresenta uma alteração, ocasionando uma diminuição da capacidade de perceber o som. Geralmente, o deficiênte auditivo se comunica pela fala e apresenta uma perda auditiva de grau leve ou moderado.
   Surdez: Também é ocasionado por alguma alteração nas estruturas da orelha, ocasionando uma incapacidade em perceber o som. Geralmente o surdo se comunica por meio da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e apresenta um perda auditiva de grau severo ou profundo.

      Ambas ocasionam uma limitação para o desenvolvimento do indivíduo. A audição é fundamental para a aquisição da linguagem falada e sua deficiência pode ocasionar muita dificuldade nas relações sociais, psicológicas e nas interações.

     Quanto ao período de aquisição da deficiência auditiva, temos dois grupos:

  • Congênito ( referente aquilo que se traz ao nascer, que é inato.) - quando o indivíduo já nasceu surdo e,neste caso, a surdez é considerada pré-lingual, ou seja, estava presente antes da aquisição da linguagem.
  • Adquirido quando  o indivíduo nasce ouvindo e perde sua adição no decorrer da idade; neste caso, a surdez é pré-lingual ou pós-lingual, dependendo da sua ocorrência ter acontecido antes ou depois da aquisição de linguagem.
    As causas para o surgimento da deficiência auditiva podem ser pré-natais, peri-natais ( antes do nascimento), a deficiência auditiva é provocada por fatores genéticos ( casamento sanguíneos) e hereditários; por doenças adquiridas pela mãe na gestação ( rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus) e exposição da mãe a drogas ototóxicas ( alguns antibióticos, álcool, monóxido de carbono, etc.), que fazem mal para o órgão da audição.
     Os pais devem ser orientados a estimular seus filhos com conversas, toques, sorrisos e carinhos desde cedo, ou seja, outras formas de comunicação, além da oral, devem ser usadas para estimulação do bebê. Deve-se falar sempre de frente para a criança, olhando para ela, permitindo que ela perceba a existência dessa forma de comunicação.

      Em sala de aula, a professora deve realizar atividades diferenciadas de acordo com o nível do aluno.
      Quando a professora estiver realizando uma explicação de alguma disciplina, deve realizar a explicação com o olhar atento para o estudante, mexendo os lábios com calma, para que o mesmo faça a leitura labial, e sempre fazendo gestos, para que o conjunto das atitudes facilite o entendimento do estudante com deficiência auditiva.

                         Exames Audiológicos

Existem algumas formas de fazer o diagnóstico auditivo de uma pessoa:

 

  1. Audiometria de Tronco Cerebral (BERA)

    Indicado para crianças bem pequenas ou para pessoas com problemas cognitivos.

    2.   Audiometria Tonal

    Indicado para as crianças maiores ou para as que já podem colaborar respondendo quando escutam um tom puro.

    3. Audiometria Vocal

    Feito com crianças que já vocalizam alguns sons.

     4. Emissões Otoacústicas (exame da Orelhinha)

    Indicado para bebês ainda na maternidade e deve ser feito em silêncio.


    • Observações feita por professores que também podem indicar se a criança necessita de uma avaliação.

      1.  O estudante está de costas e não responde quando é chamado; 

        2. O professor precisa utilizar gestos indicativos para que o estudante execute uma ação, por exemplo, dar um beijo;

        3. O estudante é desatento, agitado ou quieto demais;

        4. O estudante não percebe os sons do ambiente;

        5. O estudante só escuta televisão ou rádio em um volume muito alto;

        6. O estudante tem histórico de só ter começado a falar ao três anos de idade.

         

        OBS: Todos esses casos não dão a certeza de que o estudante tenha uma deficiência auditiva, porém são indícios que servem como sinais de alerta para que seja procurado um médico qualificado que certifique se existe ou não o problema auditivo.

                          




0

Método de Alfabetização



Amigos e seguidores do blog EDUCAR É VIVER, como vocês já sabem criei um canal no YouTube com dicas para ajudar profissionais da educação e pessoas que necessitem desse tipo de ajuda.

Nesse vídeo falarei sobre alguns métodos de alfabetização. 


Alfabetização é o termo que usamos quando nos referimos à aprendizagem da leitura e da escrita. Um indivíduo que sabe ler e escrever é considerado uma pessoa alfabetizada.

São vários os métodos para se alfabetizar. Temos o Método de alfabetização sintéticos e o Métodos de alfabetização analíticos.

Método Sintético :São métodos que levam o aluno a combinar elementos isolados da língua: sons, letras e sílabas.EX: alfabéticos, silábicos,fonéticos,etc.

Alfabéticos

O aluno aprende:
• o nome das letras nas formas maiúscula, minúscula, manuscrita, etc.
• a seqüência do alfabeto.
• a combinar as letras entre si, formando sílabas e palavras.
Silábicos
O aluno aprende inicialmente a sílaba, a combinação entre elas e chega à palavra.
Fonéticos
O aluno aprende inicialmente os sons das letras isoladas e depois reúne em sílabas que formarão as palavras.

Método Analítico: São métodos que levam o aluno a analisar um todo (palavra) para chegar às partes que o compõem. EX: palavração, sentenciação, contos, natural.
Palavração

O aluno aprende algumas palavras associadas às suas imagens visuais. É usada a memória visual. Depois que o aluno já reconhece algumas palavras, estas são divididas em sílabas para formar outras palavras.


Sentenciação

O aluno parte de uma frase que a turma está discutindo, visualiza e memoriza as palavras e depois analisa as sílabas para formar novas palavras.

Contos ou historietas

É uma ampliação do método de sentenciação. O aluno parte de pequenas histórias para chegar nas palavras, sílabas e com estas sílabas formar novas palavras.


Natural

O método natural parte de um pré-livro que contém registros de conversas da classe sobre determinado assunto. É apresentado aos alunos aos poucos para a sua visualização. Depois dessa fase, passa-se para a leitura sonorizada de cada sílaba da palavra. A partir destas sílabas, o aluno forma novas palavras e novas frases.



ASSISTAM!!!!
CURTAM!!!!
Se INSCREVAM!!! 

 

0

Como trabalhar com estudantes TDAH/ DDA?



Amigos e seguidores do blog EDUCAR É VIVER, como vocês já sabem criei um canal no YouTube com dicas para ajudar profissionais da educação e pessoas que necessitem desse tipo de ajuda.


Nesse vídeo irei falar como profissionais da educação podem trabalhar com estudantes com Déficit de Atenção.

Como trabalhar com um aluno com Déficit de Atenção?
O indivíduo que tem TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade)/ DDA ( Distúrbio de Déficit de Atenção),
é inteligente, criativo e intuitivo, mas não consegue realizar todo seu potencial em função do transtorno que tem 3 características principais: desatenção, impulsividade e hiperatividade .
O déficit de atenção pode vir ou não acompanhado de hiperatividade. Nem sempre se dão juntos numa criança.
Há uma ocorrência maior de TDA como as meninas costumam ser do Tipo Desatento (a hiperatividade é só mental) e os meninos possui ocorrência maior de TDAH (a hiperatividade e comportamental e mental).
O TDAH (DDA) é um transtorno neurobiológico crônico, na sua grande maioria de origem genética.
A criança ou adolescente com TDAH /DDA não sabe lidar com fracasso, frustração. Estão sempre ansiosos, sentem-se incompreendidos e irritam-se com facilidade.
A medicação, é a última alternativa que se pode indicar a uma criança. O uso indevido da medicação pode atrapalhar
Todo comportamento pode ser estimulado, reforçado ou anulado através de 3 reforços:


1º - Reforço Negativo
São críticas, reprimendas, castigos, punições, etc., como reação a todo comportamento negativo, inadequado. Isso faz com que o comportamento negativo aumente ,afinal é só assim que o notam.
2º - Reforço de Extinção
O ser humano adora ter atenção, carinho e reconhecimento. E detesta ser ignorado.Para se anular um determinado tipo de comportamento, a melhor técnica é ignorá-lo.
3º - Reforço Positivo
São carícias físicas, palavras afetuosas, elogios e reconhecimento por comportamentos positivos. Esse tipo de reforço faz com que o indivíduo empenhe-se nesse padrão de comportamento positivo para continuar sendo notado, reconhecido e elogiado.

Dicas para mudança de comportamento
-Não usar reforços negativos, somente em último caso,
-Usar reforços de extinção – um comportamento sem IBOPE provavelmente sairá do ar.
-Usar reforços positivos – Se a qualquer comportamento adequado mesmo vc achando que é obrigação, elogie
-Quando você quer mudar um comportamento indesejável, decida por qual o comportamento positivo quer substituí-lo. Depois de ter reforçado esse novo comportamento positivo frequentemente por no mínimo uma semana, comece a punir o comportamento indesejável, com punições brandas, como por exemplo a perda de privilégios.

ASSISTAM!!!
CURTAM!!!!!
Se INSCREVAM!!!

 

0

Atitude do professor em sala de aula com aluno TDO

Amigos e seguidores do blog EDUCAR É VIVER, como vocês já sabem criei um canal no YouTube com dicas para ajudar profissionais da educação e pessoas que necessitem desse tipo de ajuda.

 Segundo a legislação brasileira, são consideradas pessoas com deficiência aquelas que têm impedimentos físicos, mentais, intelectuais ou sensoriais de longo prazo que possam afetar sua participação na sociedade em igualdade de condições. O atendimento escolar é obrigatório a todos os estudantes de 4 a 17 anos, inclusive aos com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento.
Para o atendimento completo, a escola deve oferecer todas as condições favorecendo uma aprendizagem completa.
"O professor junto com a coordenação pedagógica devem fazer a mediação do ensino. Na sala de aula, é preciso estabelecer um projeto colaborativo que dê conta de um grupo heterogêneo", todas as crianças são diferentes entre si, e é preciso romper com o modelo homogêneo e a lógica de competição, reorganizando o tempo escolar em atividades diversificadas. "
Leia o livro “PORQUINHA DE RABINHO ESTICADINHO”

  Nesse vídeo dou dicas de como o professor deve se comportar em sala de aula com estudantes TDO (Transtorno Desafiador Opositor). 

 ASSISTAM!!!!!
 CURTAM e se INSCREVAM!!!!

0

Ideias para incentiva a leitura

Amigos e seguidores do blog EDUCAR É VIVER, como vocês já sabem criei um canal no YouTube com dicas para ajudar profissionais da educação e pessoas que necessitem desse tipo de ajuda.

 Nesse vídeo darei dicas para incentivar a leitura através de projetos que já realizei em sala de aula e ideias que também utilizei e deu certo.

 ASSISTAM!!!!!
 CURTAM e se INSCREVAM!!!!

 

 
©2011 Juliana Hellen Por Templates Sal da Terra